quinta-feira, fevereiro 21, 2013

E são 10 minutos do nosso tempo que valem muito a pena :)



As pessoas mudam.



As pessoas mudam.
Mudam de gostos. Mudam de feitio. Mudam de preferências. Mudam de defeitos. Mudam.

As pessoas mudam.
Mudam de casa. Mudam de mobília. Mudam de decorações. Mudam de local de trabalho. Mudam de olhar. Mudam de sorrisos. Mudam de emoções. Mudam de apelos. Mudam de crenças. Mudam de necessidades.

As pessoas mudam.
Mudam a todos os minutos. Mudam a cada sombra. Mudam a cada raio de sol. Mudam a cada dia. Mudam a cada mês. Mudam a cada ano. Mudam durante um tempo. Mudam durante algum tempo. Mudam durante muito tempo.

As pessoas mudam.
Mudam de amores. Mudam de paixões. Mudam de personalidades. Mudam de excentricidades. Mudam de manias. Mudam de medos. Mudam de decepções. Mudam de sonhos. Mudam de vontades. Mudam de rotinas. Mudam de hábitos.

As pessoas mudam.
Mudam de estilos. Mudam de aparência. Mudam de parecença. Mudam de discurso. Mudam de verdades. Mudam de mentiras. Mudam de aparências. Mudam de realidades. Mudam de reacções. Mudam de perspectivas. Mudam de evoluções. 

As pessoas mudam.
Assim só porque sim.

sexta-feira, fevereiro 15, 2013

No ouvido [4]

Esta semana ouviu-se muito isto. É "aquela pica". :)

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Vamos falar de Amor



E no Dia dos Namorados eu faço um elogio ao amor. 
O Amor, o verdadeiro Amor.  O Amor que é feroz e gentil, implacável, desmedido, louco. Gosto desse Amor que não tem regras dentro das sua regra de ser infinito e demasiado puro e fiel a si mesmo. Quero um amor assim. Sem dúvidas, sem ponderações, sem subtilezas, sem incertezas, sem traumas ou más fases. Quero um Amor de verdade. Não como nos filmes, mas como o dos nossos avós. Aqueles amores que crescem todos os dias mais um bocadinho. Daquele que aperta o coração na ausência e sufoca de felicidade a todos os minutos. Um Amor incansável. Um Amor que me faz cantarolar a todo o minuto e que pede ao meu corpo para dançar ao som de qualquer música, em qualquer lugar. 
"Avô, vou ter um amor assim como o teu e o da avó?" perguntava eu quando pequena. O avô fazia-me uma festa no rosto e dizia: "Não querida. Vais ter um amor maior ainda. Grande, belo e infinito. Como tu."

Aparece quando quiseres Amor. Bate-me à porta, ou então cruza-te comigo por qualquer rua por aí.
Quando chegares, és meu. E será assim: um Amor grande, belo e infinito, como diz o avô. 
Porquê? Porque sim.


terça-feira, fevereiro 12, 2013