segunda-feira, junho 18, 2012

As três gerações

Gostava de quando passávamos o serão ali os três. As três gerações. Eu, tu e a mãe. Era tão tranquilo, tão bom, tão divertido.
Lembro-me de quando me ensinavas aqueles trocadilhos com as palavras e a mãe ria ria ria porque eu me trocava toda a dizer aquilo... Lembro-me de quando imitavas o Pato Donald e eu ia às lágrimas de tanto de rir, e caía no teu colo.
Lembro-me como se fosse hoje desses momentos. De te ver ali sentado em frente à lareira, ou à mesa.. e víamos os 3 um filme qualquer. Porque tu deixavas sempre que eu ou a mãe escolhêssemos tudo.
Lembro-me de quando fazias as partidas dos dedos partidos ou do nariz que desaparecia. E eu caía sempre. E acabava sempre perdida de riso.
Lembro-me de gargalharmos os três. De chorarmos os três. De tanta coisa, sempre os três.

Eu, tu e a mãe. E éramos os três tão diferentes e tão iguais. E eram sempre o melhor do mundo aqueles momentos.

E tenho tantas saudades disso avozinho. Tenho tantas saudades de quando era assim.
Anda, deixa o vazio em que a tua alma caiu, e o rumo perdido que os teus olhos tomam, dá-me a mão.
Vamos-nos sentar os três. Eu, tu e a mãe. E gargalhar um pouco. Pode ser?


quinta-feira, junho 07, 2012

Até logo.



"Não há outra companhia que prefira à tua. A tua é sem dúvida a que me dá mais de tudo."

Olhou nos olhos dele e ficou ali a olhar para ele e a sorrir. Tinha-lhe sabido tão, mas tão bem ouvir aquilo.Saber que era a pessoa mais importante para alguém.

Continuaram a caminhar em silêncio após um almoço demorado e de muita conversa.
Ele contou as novidades do trabalho, os novos projectos e o retorno a Portugal. Desta vez para ficar, pelo menos nos próximos tempos. Sentia falta do seu lar.
Ela não contou grande coisa para além daquilo que ele já sabia. Apenas do profundo desejo de parar um bocado e descansar de muita coisa.
Durante o caminho ele posou a mão pelo rosto dela e desviou-lhe o cabelo, e sorriu. Aquele grande e adorável sorriso.
Chegados ao local em que se despediam, ele apertou-lhe a mão e disse: "Até logo minha pequena."
Ela gostou do até logo. Como não se lembrava gostar há algum tempo. E disse de volta: "Até logo."


segunda-feira, junho 04, 2012

Calmo Maio.

E os mês de Maio foi mais calmo, de estudo e abraços familiares.
Poucas memórias fotográficas, mas ainda assim:



Pedaços de mim :) Avô e mãe


Aniversário Telma, Rita e Alcino :)