segunda-feira, outubro 24, 2011

Sonhos de Outono


Estavam os dois de mãos dadas a passear pelos campos secos do Outono que teimava em chegar tarde. Regressavam do piquenique onde tinham sido puramente felizes. Sorriam e liam poemas um ao outro, debaixo de um sobreiro, e no final da tarde fizeram amor com o carinho e o entusiasmo de todas as vezes. Tinham tido a tarde perfeita, como todos os momentos que passavam juntos.
De mãos dadas seguiram até ao carro para regressarem a casa, onde seriam novamente felizes.

Acordara.
Colocara o braço por cima do corpo que dormia a seu lado.
Abrira os olhos. Tinha sido um sonho.
Era outra mulher que repousava ao lado dele, de cabelos com cheiro e cor diferentes.
Sentira-se angustiado e nostálgico.
Retirou o braço, voltou-se para o outro lado para fugir à realidade e deixou-se sonhar mais um pouco.
Só mais um pouco.

quinta-feira, outubro 06, 2011

sem ti, um ano depois.

E hoje faz um ano da tua ausência.
Dentro de mim, eu cuido de ti querida. Todos os dias.

segunda-feira, outubro 03, 2011

Susurros do coração

Tinha regressado mais cedo do que esperado. Precisava de estar só. Amanhã dar-se-ia a mais um tempo agradável para evitar pensar mais um pouco sobre qualquer assunto relacionado com o coração.
Se durante todos os dias da vida dela, o coração tinha traçado cada rumo, neste momento ela estava deveras preocupada em não lhe ligar absolutamente nenhuma. Ignorava-o sempre que este tentava deixá-la angustiada e confusa durante o dia, afundando-se mais e mais no imenso trabalho que a rodeava.
De noite permitia-se a ceder mais um pouco. Ainda que estivesse entretida entre olhares conhecidos, carinhosos e afáveis, deixava sempre que o coração lhe segredasse ao ouvido, nem que fosse no final da noite.
E ao adormecer pensava: Mais um dia que passou. Mais um dia que se perdeu. Mais um dia que se ganhou.