quinta-feira, abril 28, 2011

Eu sei, Não te conheço, mas Existes*

Eu sei, não te conheço, mas existes.
Por isso os deuses não existem,
a solidão não existe
e apenas me dói a tua ausência
como uma fogueira
ou um grito.

Não me perguntes como mas ainda me lembro
quando no outono cresceram no teu peito
duas alegres laranjas que eu apertei nas minhas mãos
e perfumaram depois a minha boca.

Eu sei, não digas nada, deixa-me inventar-te.
Não é um sonho, juro, são apenas as minhas mãos sobre a tua nudez
como uma sombra no deserto.
É apenas este rio que me percorre há muito e desagua em ti,
porque tu és o mar que acolhe os meus destroços.
É apenas uma tristeza inadiável, uma outra maneira de habitares
em todas as palavras do meu canto.

Tenho construido o teu nome com todas as coisas.
Tenho feito amor de muitas maneiras
docemente,
lentamente,
desesperadamente,
à tua procura, sempre à tua procura
até me dar conta que estás em mim, que é em mim que devo procurar-te,
e que tu apenas existes porque eu existo
e eu não estou só contigo
mas é contigo que quero estar só
porque é a ti
que eu amo.


*Joaquim Pessoa
(continua a deixar-me sem ar....)

segunda-feira, abril 25, 2011

Sonhos Partilhados

- És sonhadora e isso é bom.
- Será?
- Claro que sim. Sem sonho não há esperança.

Argumentei qualquer coisa que contrariava a ideia mas por várias vezes nos últimos três dias pensei nisso. Sou sonhadora, tremendamente sonhadora. Chego a ter receio de não conseguir parar de sonhar, ou até de me perder dentro de sonhos. Não creio que seja para alimentar esperanças de algo mas para viver e sentir. Sou um animal guiado pelos sentires. Apenas. Unicamente. Todo e qualquer impulso meu, ainda que podendo ser racionalizado, carrega uma grande conotação sentimental a qualquer coisa. Carrega a tal grande dose de partilha. Porque sou uma sonhadora a dois, ou a três ou a dez. Sonho para mim e para ti. Para nós. Para todos.
Nesta Páscoa senti que não precisaria de sonhar. Não nestes dias. Tinha tudo. Felicidade, Familia, Amigos, Mãos dadas e Olhares ternos.
Partilhas.
E foi tudo o que precisei.
Agora é sonhar para que tudo isto volte depressa.
Todos os dias. Seria bom.