domingo, maio 30, 2010

algures entre o mexer do café e o olhar fixo.

mexia o café sem parar e insistentemente. tinha o olhar fixo na senhora que acabara de se sentar no banco em frente ao café. porque sim. porque tinha necessidade de parar por uns minutos de olhar em redor, e fixar. sempre gostou de se sentar naquele canto. o seu canto. uma mesa para apenas duas pessoas, onde o sol iluminava apenas um canto e o ar condicionado chato não incomodava no Verão.

- então menina? hoje vai ser só o café? ou ainda está a espera de alguém?
- não, senhor chico. é só o café e sou só eu. obrigada.

era apenas ela sim. como tem sido nos últimos tempos. apenas ela porque não havia lugar para mais ninguém. nem ali naquela cadeira nem na sua vida. o seu coração estava ainda demasiadamente ocupado. e a sua alma explodia uma enorme confusão de sentires.

era apenas ela e só ela. ela e os seus pensamentos. os pensamentos que corriam enquanto observava as pessoas que entravam. eram as habituais. o senhor joaquim. a menina isabel. o antónio e a maria. o olhar deslizava por eles e o sorriso habitual com o usual deitar de cabeça em sinal de cumprimento.

e agora era só ela. o café que continuava a mexer. e a senhora lá fora que tinha também o olhar fixo nela. algures entre aquelas duas solidões havia uma paz a instalar-se.
e ficou assim. ela e a paz do momento.

quinta-feira, maio 20, 2010

Dorian do Wilde??

Óptima interpretação, cenários adequados à epoca, fotografia um pouco escura demais.. mas um filme bem feito.
Porém para quem leu The Picture of Dorian Gray, do famoso Oscar Wilde, por favor não vejam este filme. É uma profunda desilusão pelo tamanho afastamento do filme à obra.

segunda-feira, maio 10, 2010

Ondulares de solidões

"é impossível ser feliz sozinho..." Gal Costa - Wave

Nos últimos dias tenho reflectido sobre o estar sozinho. É bem verdade que nos podemos sentir sozinhos no meio de montões de pessoas, no metro, num concerto, num centro comercial. Mas pior que isso é sentirmos que estamos sozinhos e realmente estarmos. Sinto a permanente necessidade de impedir o sentimento da solidão, e felizmente posso dizer que na maioria das vezes consigo ter sempre alguém ao meu lado com quem não estou sozinha,não me sinto só. A felicidade do ser humano depende muito dos outros. Nós sorrisos com os outros, pelos outros, (até dos outros por vezes), choramos também. A partilha é algo inevitável. E eu adoro. Adoro poder partilhar tudo com aqueles que são os "meus". Tenho essa urgência: Partilhar o meu Mundo, que, já alguém me disse, não é só meu, é NOSSO! E não é que essa sensação me é tão natural?

A verdade é que um dos meus grandes pânicos é ficar sozinha. Já ouvi dizer que a solidão pode matar, mas discordo. Creio que pode fazer pior:enlouquecer. Deparei-me há uns tempos com alguém que me disse que eu não estava preparada para um dia ficar sozinha. Mas será que alguém está? Eu não estou, isso é certo. Não quero estar. E para ser sincera pretendo nunca estar. E lutarei por isso.
Porque para mim ser feliz é isso. É partilhar sensações. Tudo na base disso. =)